quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Obrigado, Loco Abreu!!!


O tempo passa, os campeonatos se sucedem e eu fico ainda mais apaixonado pelo Botafogo. Não sei, sinceramente, até onde esse meu amor irá. Antigamente não ficava tão nervoso e ansioso. Hoje, com mais de seis décadas de Botafogo nas costas, estou cada vez pior. Minha vida – alegria e tristeza – passa a depender dos resultados do Botafogo. Ainda mais agora com jogos no meio de semana. Confesso aos leitores desse blog – se é que ainda me seguem – que fico desorientado no dia em que o Botafogo vai enfrentar qualquer adversário. Só consigo pensar no jogo e como o Botafogo do meu coração vai se comportar em campo, no Engenhão ou fora dele.

Na noite de quarta-feira foi assim, diante do Vasco. O placar do primeiro tempo quase me desmontou. Mas no segundo tempo, os dois gringos, Herrera (que gol lindo) e Loco Abreu se encarregaram de evitar uma derrota que parecia certa. E como há coisas que só acontecem ao Botafogo, Loco Abreu (foto) empatou a partida em 2 a 2 quando faltavam poucos minutos para o final da partida. Vibrei como se fosse um gol de vitória e pude dormir em paz, embora os três pontos não tenham vindo.

Aproveito esse espaço para pedir aos torcedores do Glorioso – campeão de 1910 e 2010 – que não vaiem os jogadores que não estão bem. Não exijo que os aplaudam. Mas não vaiem. Jamais em minha vida vaiei um jogador alvinegro. Aquela camisa para mim é um símbolo. E vaiar um jogador que a está vestindo, acho eu, é um ato inominável. Por isso a reação grosseira de Caio – que já nos salvou várias vezes – reagindo à torcida. O Botafogo não merece isso. A gloriosa camisa alvinegra não pode ser enxovalhada por quem a veste. Ela é linda e é um símbolo para nós todos.

Obrigado, Loco Abreu – uruguaio gelado – pela cobrança do pênalti sem cavadinha, matando a pau o goleiro do Vasco. Para um time que perdia por 2 a 0 e teve Herrera expulso, foi um bom resultado. Podia ser melhor, claro, mas com 10 homens ficou de bom tamanho. O importante era evitar a derrota. E Loco Abreu nos deu esse presente no finalzinho. Agora posso dormir mais ou menos em paz.

O Botafogo, em poucas e resumidas palavras, é uma de minhas razões de viver. E como digo no alto do blog. É a minha indubitável e gigantesca paixão imaterial. Obrigado, uruguaio, pela frieza e pela categoria. Siga sempre assim.

10 comentários:

Di e Andreza disse...

Boa Noite Roberto, desde sempre acompanho seu blog, mas nunca havia comenado. Até hoje. No meu primeiro comentário nada vou tercer sobre a partida de hj, mas descrever uma rotina. Sempre que termina os jogos do Botafogo, espero e leio todos os posts do blogs botafoguenses q leio (cantinho botafoguense do Rodrigão, mundo botafogodo amigo Ruy, snoopy em preto e branco, entre tantos que vc conhece, mais do que inclusive. O seu sempre leio por último. Por favor, não pense que é por mal, pelo contrário, é por bem, melhor dizer, pro meu bem, pois quando os jogos não são bons, ou são ruins, sempre encontro em suas palavras um certo conforto, uma esperança, e preciso dela pra dormir, como vc mesmo diz, em paz. Muito obrigado. Mais uma vez hj, vc conseguiu acalmar um pouco meu coração. Quem venha o Atlético Paranaense.

Abraços Gloriosos

Eraldo Santos Tag DF. disse...

Roberto Porto, você tem razão. Esta inquietação em dia de jogo do Fogão é característica básica de todo botafoguense. Li certa vez em uma revista que não existe torcida com os nervos mais à flor da pele do que a botafoguense. Ontem, todos nós dormimos em paz. Esperamos, definitivamente, que o pior tenha passado. Para terminar, não abandonei o seu Blog. Só não entendo por que os comentários não aparecem mais. Saudações alvinegras.

Guga disse...

Porto,

Quando o Vasco fez o 2º gol, desisti e fui dormir de cabeça quente. Mas qual não foi minha surpresa quando soube o resultado... Este time merece nossos aplausos, não vaias.

Tauan Ambrosio disse...

Jogo dificílimo. Voltamos a jogar como o time que ganhou o carioca, usando a força da bola aérea...e contra nossos adversários também cariocas esta têm sido uma ótima alternativa. Agora as lesões estão me preocupando muito. Levamos dois gols de fora da área em dois jogos consecutivos ( Montillo e Éder Luis)que mostram a falta que Marcelo Matos faz na proteção à zaga, e agora essa com Maicosuel....... E meu coração fica loucamente enlouquecido com essas notícias. Saudações alvinegras!

Dirley Santos disse...

Caro, Roberto Porto. Desculpe pelo enorme post (estou ainda pu... da vida, especialmente com o juizeco de ontem e a Conmebol), mas queria expor algumas opiniões:
1) Não consigo entender o que uma Comissão Técnica e jogadores de séria A fazem durante a semana (durante o dia e a noite), será que ninguém observa os jogos e o dia-a-dia de seus rivais? O Vasco vem jogando marcando sob pressão e ofensivamente desde o início das partidas, foi assim com ATL-MG, Avaí e Inter (pelo menos os que eu vi) e quase ganhou os jogos. E o Botafogo, entra em campo naquela letargia?
2) Chega! É preciso de alguma forma dar um basta em Fahel e Alessandro. Se não continuaremos com a saída de bola comprometida e tomando seguidos gols pela lateral direita (impressionante como a jogada do Éder Luís é igualzinha a do Montillo, com o Alessandro marcando bisonhamente).
3) FATO! O Marcelo Matos é (era o ponto de equilíbrio deste time). O Maicosuel não pode ser segundo atacante. Sem o Jobson ou entra logo com o Caio ou com o Edno, pombas!
4) Será que NINGUÉM pode chegar no Herrera e convencê-lo de que ele está VISADO pela arbitragem desde o estadual (vide declarações do XXX). É cartão CERTO para juízes e comentaristas conservadores. Além disso, a entrada que resultou no primeiro cartão foi infantil, raça é uma coisa bisonhice é outra. No segundo lance, ele já vinha enervado de tomar várias faltas e o juiz ignorar. Outro é o Caio, Joel e a diretoria tem de blindá-lo (tirante seus vacilos), pois ele apanha o jogo todo, o juízes permitem e ele ganha fama de cai-cai, e os juízes continuam permitindo e jogando a culpa nele;
5) O juizeco pode até não ser mal-intencionado, mas é de uma má vontade com o Botafogo! Naqueles 6 a 0, a expulsão do Eduardo já tinha sido exagerada, apesar de plausível. Ontem, o Ramon bateu a valer, deu até ippon no Herrera, mas o juizinho deu amarelo foi pro Alessandro, por reclamação!! Graças ao departamento médico do Vasco (que errou ao mantê-lo) em campo, o botinudo do Ramon acabou “expulso”. O caso Assaf, revelou bem esta “má-vontade” com a gente.
6) Outro alerta necessário e pro nosso departamento médico não cair na pilha da “imprensa especializada” e só retornar com os lesionados (especialmente Jobson e Marcelo Matos) na boa. Todos os times tem tido sérias baixas por problemas musculares (acho q precisava abrir uma CPI sobre isso) e todas tem tido um período “mais ou menos” longo de recuperação. Por exemplo, será que o Emerson também tá “fugindo” do anti-doping já que ele se machucou na mesma época (se na antes) e de forma semelhante ao Jobson??
7) Domingo, vai ser um “dia D” (mais um nesse brasileiro, e ainda não o último) para nós. Jogaremos todos estropiados contra o Furacão. Ou entramos ligados, como conta o Cruzeiro ou não seremos “perdoados” novamente.
8) Por fim, quero elogiar a postura do Loco, e de certa forma do Herrera. Los Gringos, são a “raça platina” que nós tanto desejávamos em 2008 e deveriam ter vindo quando trouxemos Castillo, Ferrerro, Zárate e Escalada. A expulsão do Herrera era evitável, mas acho que assim como na final do carioca ela foi um divisor de águas, pelo menos para o Loco que entrou de vez no jogo. Aliás, também vi ele esculhambando o juizeco com o lance da camisa (se o apitador fosse bom memso o tinha expulsado) e a vibração dele ontem foi mais intensa do que contra o Fla.Sua declaração ao final do jogo pode não refletir o que foi o jogo e o que tem sido o Botafogo (na opinião do Rui Moura) mas significa o que deve ser neste campeonato. Aprende, Joel Santana, diretoria:


"TIENE RAÇA, TIENE COLLONES. ÉS TIME GRANDE!”

Saudaçoes alvinegras,

do amigo Dirley.

PS - Sim, sigo seu Blog permanentemente, sempre a espera de seus excelentes textos (apesar de discordar d eum outro argumento)

Wesley Machado disse...

Os melhores times do campeonato têm jogadores estrangeiros. O Inter tem Dalessandro, Guinrazú e Bolívar. O Cruzeiro, Montillo e Farias. O Fluminense Dario Conca. E o Botafogo, Loco e Herrera. Não só de jogadores brasileiros vive o futebol sul-americano. Os argentinos e uruguaios são fundamentais para a formação de um time forte.

Professor Alejandro Martins disse...

Oi Roberto, sou suspeito para falar porque nasci em Uruguai, mas falo: adoro o Loco. Ele é uma excelente pessoa; o pessoal de Minas, sua terra natal, sempre falou isso. E é isso ai: para jogar no Botafogo tem que ter raça e culhões. Alias, para viver se precisa isso; sério, são as bases de um mundo melhor. Abraços, Alexandro.

Camila Augusta disse...

Presente!!! Ainda lhe sigo, amigo Porto! A minha sensação com relação a este jogo foi como a sua. E também não concordo com as vaias - como alguém sai de casa para ir ao estádio e vaiar o time?! Realmente, para mim é difícil entender.
E cada dia que passa, fico mais fã do Loco e do Herrera, que de fato é esquentadinho. Mas o Loco... esse tem a cara do Botafogo.
Camila Augusta
"Obrigado, uruguaio, pela frieza e pela categoria. Siga sempre assim."
Saudações amigo Porto!

hcottas disse...

Amigo Porto,

Para você não se sentir tão solitário na sua loucura botafoguense, mando-lhe uma informação. Nos dias de jogo do Botafogo, minha mulher normalmente pergunta :
- Tem jogo do Botafogo hoje ?
- Sim, por quê ? - pergunto eu.
E aí ela responde :
- Porque você já está com aquela cara de maluco que eu conheço ...

Abs, Humberto Cottas.

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Com a derrota do Cruzeiro para o Santos (4 a 1) precisamos bater o Atlético PR e colar de vez nele.

O time está muito modificado, mas temos condições de vencer.

SDS