segunda-feira, 7 de junho de 2010

Esse Botafogo não me engana

                 

Perpetrando um quase inacreditável esforço de memória, concluo que fui a General Severiano (foto) pela primeira vez no início da década de 40. Não era para futebol, que nem sabia do que se tratava. Foi para um baile de carnaval infantil. Mas era fevereiro, fazia um calor dos diabos no salão principal do clube e minha mãe achou por bem me conduzir ao terraço do clube, onde fiquei até terminar o forno que havia lá embaixo. Depois, lendo o livro de Alceu Mendes de Oliveira Castro, descobri que já era torcedor do futebol do Glorioso Botafogo em 1946 (botem tempo nisso). Foi uma época em que Braguinha sempre brilhava com uma marchinha de sucesso.

No dia 22 de setembro daquele ano, um domingo, em General Severiano, o Botafogo derrotou o Madureira por 7 a 1 (Heleno marcou três vezes na goleada) e ouvi o jogo pelo rádio, no apartamento onde minha família morava, em Laranjeiras. A cada gol do alvinegro, eu dava uma cambalhota na sala e saía correndo para dar o placar para nossa empregada, Isaura, que, pelo que me recordo, era torcedora do Tinhoso. Contei essa duas histórias para provar aos possíveis leitores do meu blog que conheço o Botafogo na palma da mão. Bem mais do que qualquer dirigente do clube.

Por isso, não me surpreendi – embora ficasse uma vez mais puto da vida – quando o Corinthians empatou em 2 a 2, no Engenhão, quando faltavam apenas 30 míseros segundos para terminar a partida. O Botafogo, com raríssimas e honrosíssimas exceções, é useiro e vezeiro em entregar o ouro ao bandido no finalzinho das partidas. Pior: o gol de empate surgiu de um escanteio. Será possível que o time – que não jogou bem – não pudesse ficar todo dentro de pequena área, talvez até em cima da linha fatal, para evitar o empate? É por isso que os inimigos dizem, rindo, que ‘há coisas que só acontecem ao Botafogo’. E tenho que aceitar.

Sem querer cometer qualquer injustiça até com outros times que vestiram a gloriosa, creio que só a equipe que conquistou o Campeonato Carioca de 1989 lutava até a última gota de suor – por isso terminou campeã invicta. Tem razão Papai Joel, que jogou sua prancheta no chão, tem razão Lúcio Flávio que custou mas teve uma boa atuação e, por fim, teve razão Leandro Guerreiro, que deixou o gramado como se tivesse perdido um título. Infelizmente, através de décadas, sou obrigado a aceitar esses resultados absurdos. Honestamente, o Botafogo me tirou o sono e o humor. Tomara que com essa parada no Brasileiro, o clube volte com mais disposição.

Hoje vou terminar por aqui. O Botafogo me colocou a nocaute.

(*) O time da Tanzânia, que perdeu do Brasil por 5 a 1, na África, apesar dos desfalques alvinegros, é melhor que o do Botafogo. Podem apostar.

(**) Não é possível que o Botafogo ignore a difícil situação de saúde em que se encontra o nosso herói Juvenal Francisco Dias, campeão carioca de 1948.

4 comentários:

Gil disse...

Mestre Porto,

Não tenho a menor dúvida que tu és a pessoa que mais conhece do nosso Botafogo. Acho que conheces mais o Botafogo do que a própia palma da mão.

Mestre, esse empate com sabor de derrota coloco na conta do Joel. Ele acabou com o meio de campo ao substituir o lento flávio (nesse jogo até que foi rápido flávio) e o Cajá.
Pior de tudo é não assumir os seus erros (com essas substituições acabou com o meio de campo e fez o time recuar), e jogar a culpa nos jogadores! Isso é coisa de traíra!
Outra coisa que não consigo entender é o Cordeiro não ter vaga nesse time. Por duas vezes puxou contra ataque e conduziu a bola como ninguém do time. No contra ataque que resultou em gol, o tempo todo olhando as posições dos dois companheiros e adversários. Induziu um zagueiro ao erro, ou seja, por alguns segundos na corrida olhou e inclinou o tronco, como se fosse dar o passe para o Cajá e tocou no Rápido Flávio.

Joel precisa rever alguns dos seus conceitos!

Abs e Sds, Botafoguenses!!!

Chico da Kombi, disse...

###

Botafogo, você não vale nada mas eu gosto de você.

:o(

###

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Mestre,

Eu estava deitado no sofá e quando Dani Moraes mandou para escanteio eu senti um frio na barriga. O zagueiro reserva do Corinthians apareceu por lá...

Torcer para o Botafogo é, também, engolir sapo! E sem azeitá-lo.

Saudações Gloriosas!

SPECTRE1961 disse...

שָׁלוֹם

1968,

Estou na sala aos 7 anos de idade, assitindo James Darren e Robert colbert viajando no tempo ...

Logo no encerramento, meu pai passa para o canal 9, Tv Continental ...

Botafogo 4 x Vasco 0 !

Final do Campeonato Carioca 1968 ...

E a partir daí, passei a ser um seguidor da Estrela Solitária !


Fischer,

O meu herói número 1 da infância ..

Herrera, o guerreiro maior em 2010 !!!

Botafogo,

Um fogo que tem como missão ...

Queimar a derrota ...

E iluminar a Vitória !

גדוד נצח יהודה

SHALOM !