terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Presente de grego para o Urubu

Naquele feriado nacional de quarta-feira, 15 de novembro de 1972, o Mais Querido, aniversariante do dia, era o favorito absoluto para a partida daquela tarde, no Maracanã, contra o rival Botafogo, pelo então Campeonato Nacional.

Campeão carioca sob a orientação de Mário Jorge Lobo Zagallo, o time da Gávea contava com quatro ex-jogadores alvinegros, todos eles da mais absoluta confiança do treinador: o lateral-direito Moreira, o ponteiro-direito Rogério, o meia-armador Humberto Redes e, estrela das estrelas, o campeão do mundo Paulo César Lima.

O Botafogo, por seu lado, tinha uma equipe forte, principalmente o ataque, mas o técnico Sebastião Leônidas não conseguira, ainda, que a equipe mostrasse conjunto. O time era tão cheio de altos e baixos que ganhou da imprensa o apelido A Alegria do Nordeste, de tanto perder por lá.

Os times jogaram assim: Botafogo – Cao, Mauro Cruz, Valtencir, Osmar Guarnelli e Marinho Chagas; Nei Conceição, Carlos Roberto e Ademir Vicente (Marco Aurélio); Zequinha, Rodolfo Fischer (Ferreti) e Jairzinho. Flamengo – Renato, Moreira, Chiquinho Pastor, Tinho e Rodrigues Neto; Liminha, Zanata (Mineiro) e Paulo César; Rogério (Caio Cambalhota), Fio e Humberto Redes, este último escalado na frente para tabelar com Fio e permitir a penetração de Paulo César pela esquerda da retaguarda do Botafogo.

Para uma partida que não era decisiva, as bilheterias do Maracanã trabalharam muito, pois venderam 46 mil 279 ingressos, a maioria para torcedores rubro-negros.

Apesar do favoritismo do Mais Querido, o Botafogo estava num dia inspirado. E curiosamente, naquele 15 de novembro, o Furacão da Copa Jairzinho e o argentino Rodolfo Fischer, embora não se falassem, entenderam-se às mil maravilhas. Os dois, por sinal, enlouqueceram a defesa rubro-negra em apenas meio-tempo: Jairzinho abriu o escore aos 15 minutos, Fischer fez 2 a 0 aos 35 e 3 a 0 aos 41. O escore já era alarmante para um clássico da envergadura de um Botafogo x Flamengo, mas quem conhecia as artimanhas de Zagallo sabia que, apesar da diferença, muita coisa poderia mudar na segunda etapa. Não para uma reviravolta no placar, mas, pelo menos, para a conquista de um honroso empate.

Mas para o Flamengo o segundo tempo foi catastrófico. Jairzinho aumentou para 4 a 0 aos 23, o mesmo Jairzinho, de letra, fez o quinto gol e finalmente, Ferreti, que substituiu Fischer, colocou 6 a 0 no placar. A torcida do Flamengo ficou chocada. Como o campeão carioca poderia perder de 6 a 0? O que acontecera em campo?

Até hoje, com 37 anos passados, ninguém sabe o que ocorreu.

Mas o sorriso de Jair, com sua cabeleira afro (a foto que ilustra o blog de hoje é exatamente do dia da goleada), levou os torcedores alvinegros a cantarem:

Nós gostamos de vo...6!

4 comentários:

Gil disse...

Mestre Porto,

Nesse dia não consegui dormir direito de tanta felicidade!
Sem voz e adrenalina a mil, contava os segundos para chegar a segunda feira e encarnar nos torcedores do "simpaticíssimo"!

Belos dias, Belas Vitórias, Grandes Alegrias!

Abs e Sds, BOTAFOGUENSES!!!

CARLOS ALBERTO disse...

FOI A PRIMEIRA VEZ EM QUE FUI AO MARACANÃ. ATÉ HOJE AS IMAGENS NÃO SAEM DA MINHA MEMÓRIA.
ABRAÇOS
CALRLOS ALBERTO

Chico da Kombi, disse...

###

Eu tinha 11 aninhos e escutei o jogo pelas ondas médias do rádio Zilomag do meu pai.
\o/

FORÇA FOGÃO!
Loco Abreu neles!


Gloriosas Saudações Alvinegras.

###

Luiz Rogério disse...

Feliz 2010 Roberto e amigos!

Nasci exatamente em 1972 e tinha poucos meses de idade na data desse memorável jogo e sempre tive vontade de assistir ao vt da partida. Roberto você sabe se existe esta relíquia?

O Jairzinho com todo o seu carisma poderia ser mais presente na vida do Botafogo, assim como fez na inauguração da estátua do Nilton Santos. Sei que ele vai com frequencia nos eventos em GS, mas pode nos ajudar ainda mais!

Roberto o que você achou da contratação do El Loco?

Estou animado!

Abraço e saudações alvinegras para você, para Malu e demais amigos!!!

Luiz Rogério