quinta-feira, 30 de abril de 2009

O famoso Jogo do Senta


Meu tio Júlio Lopes Fernandes (1898-1983) detestava o Mais Querido e eu custei a saber a razão. Esportista – aplaudia os adversários quando entravam em campo – não vaiava os jogadores do Botafogo e apenas ficava cabisbaixo nas derrotas. Militar, não podia admitir que um clube não soubesse perder.

Até que um dia – faz tempo isso – me relatou o verdadeiro mico que o Simpaticíssimo pagou em General Severiano, com seus jogadores sentando em campo aos 31 minutos do segundo tempo, para espanto e estupor (termo que aproveitei de um cruzmaltino) de jogadores, dirigentes e torcedores do Glorioso alvinegro.

Mas, afinal de contas, o que teria acontecido de tão marcante há tantos anos – mais de seis décadas – precisamente na tarde ensolarada de um domingo, 10 de setembro de 1944?

Em sua inexorável marcha para a conquista de seu primeiro tricampeonato, após o discutido gol de Valido, na Gávea, na decisão contra o Vasco, o Mais Querido, até aquele dia, que entrou para o folclore do futebol carioca, perdera apenas dois jogos: o primeiro, diante do América, e o do final do turno, para o Vasco. Mas, na segunda rodada do returno, a tabela marcara um Botafogo x Flamengo para General Severiano.

Para os alvinegros, seria a oportunidade de vingança dos 4 a 1 que sofrera na Gávea, no turno. Para os rubro-negros, a confiança era absoluta. O otimismo em relação à conquista do terceiro título seguido. E General Severiano pegou um público extraordinário.

Com arbitragem de Aristides Figueira – o popular Mossoró – os times entraram assim em campo:

Simpaticíssimo – Jurandir, Newton e Quirino; Biguá, Bria e Jaime de Almeida; Nilo, Zizinho, Pirillo, Sanz e Jarbas;

Botafogo – Ari, Laranjeira e Ladislau; Ivan, Papeti e Negrinhão; Lula, Geninho, Heleno de Freitas, Valsecchi e Valter.

O primeiro tempo foi duro e terminou com vantagem de 2 a 1 para o Botafogo, gols de Heleno e Valsecchi. Na etapa final, animado por sua torcida, o Botafogo chegou a colocar 4 a 1 (Valter e Heleno), o Flamengo diminuiu para 4 a 2 (Jarbas) mas, aos 31 minutos, Geninho fez o quinto gol.

Começaram então as reclamações de jogadores e dirigentes rubro-negros. Para o “Esporte Ilustrado”, a bola chutada por Geninho batera na parte inferior do travessão e quicara dentro do gol para depois sair. Para Mossoró, também.

Já os jogadores do Mais Querido, Jurandir à frente, garantiam que a bola se chocara contra o travessão e voltara ao gramado. Por incrível que pareça, para muitos torcedores do Botafogo, atrás da baliza à direita das sociais, onde mais tarde surgiriam a Avenida Pasteur e o Túnel do Pasmado, a bola explodira dentro do gol mas batera no ferro que sustentava a rede.

Formado o tumulto – com os alvinegros batendo bola à espera do reinício da partida – os jogadores do Simpaticíssimo, obedecendo ordens vindas do banco e dos dirigentes Marino Machado e Francisco Abreu, simplesmente sentaram-se em campo.

Quando o tempo se escoou, levantaram-se e retiraram-se para os vestiários. Na súmula, Mossoró anotou o gol de Geninho, exatamente aos 31 minutos, e o resultado da partida foi homologado pela federação como 5 a 2 para o Botafogo.

Durante a semana, a reclamação dos responsáveis pelo departamento de futebol do Flamengo prosseguiu. E os jornais, ironicamente, passaram a chamar a partida de O Jogo do Senta.

É claro que com os recursos da televisão de hoje a dúvida seria tirada momentos após o chute de Geninho. Mas, na época, nem mesmo as mais velozes máquinas fotográficas captaram o lance.
O resultado é que durante muito tempo o debate seguiu acalorado.

Para o Mais Querido, porém, foi apenas um tropeço – inesperado, obviamente – na rota para o tricampeonato. Para os torcedores botafoguenses, porém, apesar da vitória de 5 a 2, ficou um travo amargo na garganta. Numa época romântica e cavalheiresca como aquela, era imperdoável o adversário não aceitar uma derrota, principalmente por tantos gols de diferença.

Talvez esteja aí a origem da rivalidade que atravessa gerações.

14 comentários:

Diego Araújo disse...

Como eu queria ter visto esse jogo. A muito tempo que espero o meu fogão fazer algo em cima do Flamengo qeu fique marcado para toda história.

Espero que isso ainda aconteça.

Seu blog é muito bom Roberto
Parabéns

Coloquei sem blog nos meus recomendados, da uma olhada no meu e se gostar me avisa ai.

Camila Augusta disse...

Boa história amigo Poto!

O clima hoja na Beira da Lagoa está pesado. O Fogão deve aproveitar isso.

Poxa...só hoje na coluna do Cesar, é que fiquei sabendo do evento de ontem na Biblioteca Nacional. Queria tanto ter ido, ainda mais sabendo que você estaria... A divulgação desses eventos precisam ser melhores.

Saudações!!!

Zé do Rock disse...

Tem um diretorzinho do clube da beira da lagoa dizendo que "forças ocultas" estão tramando contra eles. será que já está chorando o leite derramado?

Luizão Aurélio - Gastronomia disse...

Bela história do nosso Glorioso!

Passando para os dias de hoje, o presidente do menguinho, estava irado segundo matéria da "globofla" na qual a jovem "juanita" poderia pegar uma suspensão pelo ocorrido no primeiro jogo da decisão. Queria Roberto que você fizesse um comentário sobre essa questão, pois tenho certeza que assim como eu, vários botafogueses não entendem as maracutais e "mazelas" desses tribunais. Agradeço a atenção e um grande abraço alvinegro....

Miguel disse...

E hoje dizem que nós que somos os chorões ....rs

Abraço Mestre Porto

Domingo é tudo nosso

Fogo!

Anônimo disse...

PARA DIEGO: O PROBLEMA DO SEU TIME É ESSE, ELE JOGOU MUITO, MAS, FOI A 30,40 OU 50 ANOS ATRÁS.SÓ O VOVÔS LEMBRAM DISSO.

CAMILA: QUANTO MAIS O CLIMA PESA, A VONTADE DE SER TRI AUMENTA.

ZÉ DO ROCK: NÓS NUNCA VAMOS CHORAR PORQUE ESSE TITULO É DE VOCES E NINGUEM TOMA. ÚNICO ETERNO E ORIGINAL CHORORÔ DO RIO.

LUIZÃO: VOCÊ TA MUITO MAL
INFORMADO.RUAN JOGA E VAI DEIXAR O DELE PRA CIMA DE VOCÊS.

MIGUEL: A RESPOSTA DO ZÉ DO ROCK SERVE PRA VOCÊ TAMBÉM.

SAUDAÇOES DO UNICO TIME CARIOCA CAMPEAO DO MUNDO E SEM A MANCHA DA SEGUNDA DIVISÂO.
ALEX PENTA MURIAÉ MG

Gil disse...

Mestre Porto,

Eles tentam, mas nunca, nunca, consigarão ter as nossas tradições!
Fico a imaginar se possuíssem 3 jogadores (SOMOS O ÚNICO NO MUNDO) na seleção do mundo de todos os tempos, escolhida pela FIFA.
Fico a imaginar se eles figurassem como sendo um dos 12 clubes do século, também escolhido pela FIFA.

Eles, sempre, choram e nós que levamos a fama.

Obrigado por nos lembrar de mais essa humilhação que atribuímos aos molambos.

Abs e Sds, BOTAFOGUENSES!!!

Robson disse...

Gil

nós não configuramos entre os 12 maiores clubes do seculo, vc tem toda razão, nós configuramos entre os 10 clubes do seculo, estamos em 9º...

SRN

Calanguis disse...

Bom, Porto,

Eu não acompanho o Botafogo há tanto tempo quanto você. Mas meu pai dizia que essa rivalidade só começou a partir da década de 60. Antes disso, a maior rivalidade aqui no Rio era entre Botafogo e Fluminense

Calanguis disse...

Robson,

Não importa a colocação. O fato de os dois clubes (e mais o Santos, em 5º)aparecerem entre os 20 Top FIFA apenas evidencia o reconhecimento internacional que todos possuem.

Detalhe: O Botafogo, mesmo tendo uma quantidade de títulos inferior à do flamengo e do Santos, figura entre os Top 20. Por que será?

SA

Anônimo disse...

Bem deixando a mulambada de lado precisamos votar no site www.bestfootballer.com em GARRINCHA para ser um dos 10 maiores jogadores de todos os tempos - pode votar todos os dias - vamos lá galera - e deixa a turma da lagoa de lado tá fedendo muito - SAUDAÇÕES GLORIOSAS - MARCOS VENICIUS

MAM disse...

Robson
"olha pro seu rabo" isso aqui é pra quem é botafoguense...Se manca e tenha o seu direito sagrado de torcer pra o seu time, nas na sua turma, aqui não.
Deixa de ser "espírito de porco"

Abraços e saudações alvinegras

Luiz Rogério disse...

Roberto e amigos,

Ótimo post sobre um dos jogos mais famosos da rica história do futebol brasileiro e carioca.

Bom, isso me fez pensar uma coisa motivada pelos comentários jocosos e inoportunos do torcedor do clube rival. Neste caso temos dois fatos, um o BOTAFOGO motivado por seu ex-presidente cansado de ver seu time prejudicado acabou chorando, outro fato mostra flamengo depois de estar perdendo na bola, por ordem de seu ex-presidente SENTA no solo sagrado de General Severiano.
Com isso podemos concluir que chorar é melhor que sentar, pois a fama de gostar de sentar é pior do que de chorão!
Forte abraço amigo Porto.
Saudações Alvinegras!!!
... e ninguém cala!

Luiz Rogério

rapazdochapeu disse...

Alex penta e Robson...vocês estão muito nervosos. Porquê?