terça-feira, 16 de junho de 2009

O ‘Forró de Curitiba’


Domingo, quando liguei a televisão, juro pela minha mãe mortinha – até porque ela já se foi – que pretendia torcer pelo Clube da Beira da Lagoa, aliás, Flamengo. Estava empolgado com a escalação do Imperador no ataque rubro-negro, ele que manda e desmanda em todas as comunidades cariocas. Torcia, também, pelo Juanito das Candongas, aquele lateralzinho que gosta de meter medo em seus adversários. E, também, pela camisa vermelha e preta, embora os ‘inimigos’ achem que ela parece pano de macumba. Mas tudo bem. Ajustei a TV Fla no Canal 4 e fiquei à espera de uma surra naquele time de Curitiba, que seus torcedores apelidaram de ‘Coxa’.

De repente me lembrei que tenho, na capital do Paraná, um amigo de um amigo de um tio meu – gente finíssima, que torce pelo Coritiba. Aí, mesmo contra a vontade, passei a querer que o Coritiba aplicasse no Flamengo um novo forró, desta vez o ‘Forró de Curitiba’, Afinal estamos em junho e os paranaenses – como todo o povo brasileiro – comemoram as datas juninas. E aconteceu o que todo mundo viu. O Coritiba esculachou o time do Urubu, metendo 5 a 0 nos peitos da turma da Praia do Pinto.

Fui dormir contente, imaginando a alegria do amigo do amigo do meu tio. Mas confesso que, da próxima vez – juro pelo meu pai mortinho – até porque ele já se foi também – que darei mais uma oportunidade ao Flamengo, que está sempre na TV Globo. Aliás, O Globo, na segunda-feira, abriu em manchete ‘Derrota inaceitável’.

E eu pergunto por quê? O Globo quis dizer que o Flamengo – também chamado de Simpaticíssimo e Mais Querido – não pode ser esculachado? Fiquei sem entender a manchete.
O Flamengo, por acaso, é inderrotável? O Bruno não é o melhor goleiro do Brasil? O Imperador de Vila Cruzeiro não é o tal – que não treina de manhã porque tem atividades noturnas? Tenham paciência. Ele tem compromissos.

O ‘Forró de Fortaleza’ já está longe no calendário esportivo e foi aplicado pelo Botafogo no Castelão no time de Romário, o ‘Marrentinho’. Por que o Coritiba não poderia repetir a façanha? A cada gol do ‘Coxa’, esquecido de que pretendia torcer pelo Mais Querido, dei gritos medonhos, que assustaram todo o condomínio e que me valeram uma advertência do síndico, que, por falta se sorte minha, frequenta a Praia do Pinto.

Mas, como diria João Saldanha, vida que segue. Outros forrós virão por aí, pois o Brasileiro está só começando. Mas, pelo menos a princípio – desde que não tenha amigos de amigos de meus parentes – sempre estarei disposto a dar uma força àquela camisa de umbanda. Tenho pelo Flamengo um carinho incomensurável. E não haverá de ser a reedição de um forró curitibano que afetará essa minha atitude – tomada de repente.

Mas que os 5 a 0 foram demais, isso foi. E por pouco o Mengão não toma de mais. Pena que a Globo tenha abaixado o som do olé – nem mesmo se referiu a isso – e que Júnior Capacete tenha comentado a partida. O gol contra, então, foi espetacular. Jamais havia presenciado uma jogada daquelas. E estou certo de que vascaínos e tricolores também ficaram com pena do rubro-negro.

Mas o importante foi a nova edição do forró, desta vez no Paraná.

8 comentários:

hcottas disse...

PORTO,

Mais uma vez, sarcástico, fino e imapgável !
Ontem vi vários torcedores ostentando a camisa mais gloriosa do planeta, cheios de orgulho. Bastou uma vitória após um jejum e uma surra aplicada sobre aquele time patético.

COMO É BOM SER BOTAFOGO !!!

luizhlbarbosa disse...

Como diria Odorico Paraguaçu: "estou com a alma lavada e enxaguada". Mestre Porto estava com saudades desse baile popular que serve para limpar minha alma. Tb dei gritos medonhos no meu condomínio, mas sem advertências do síndico, que tb é botafoguense. Obrihado por atender aos apelos desse alvinegro. Abs. Luiz Henrique.

oliverfogo disse...

Brilhante!!
Compartilho dessa mesma alegria, uma vez que episódios como esse, pelo menos por um momento conseguem "inibir" a arrogância estampada em cada admirador do "simpaticíssimo". Ontem não vi ninguém na rua usando o pano de chão. Isso não tem preço!!
Abs. Sou sua fã!!
Leila Horácio.

Gil disse...

Mestre Porto,

Como fazia frio em Curitiba, antes do gol contra espetacular, deram um lençol, aliás um cobertor espetacular para aquecer e agasalhar a menina nervosa.

Abs e Sds, BOTAFOGUENSES!!!

Antinha disse...

Meu vizinho é flamenguista e fã do Roriz (o Maluf do DF). A satisfação que eu senti ao ouví-lo guinchando de ódio a cada gol foi comparável apenas à mesma satisfação da semana passada (Sport).

Um abraço.

Não é tão certo! disse...

Fala Porto,

Sua forma de escrever impressiona, mas acho que não deveríamos dar tanta enfâse a este clubinho sem estrutura, em que todos mandam naquilo, até o roupeiro trabalha se quiser, vamos enaltecer nosso glorioso até pq a imprensa é totalmente contra isso, só falam mal do nosso time e sempre querem desestabilar o ambiente do glorioso. Quanto as trasmissões da monopólio, é lamentável ter que ouvir Jr que se acha o fod.... comentar os jogos.

Porto e alvinegros, se puderem dar uma olhadinha lá no meu blog.

Abraços.

www.naoetaocerto.blogspot.com

Calanguis disse...

Porto,

Só não tomaram de mais porque o homem de amarelo expulsou (indevidamente) o principal atacante do coxa. Senão a humilhação teria sido pior.

Almir Vilanova disse...

Valeu, Porto! Sou Central (de Caruaru) e por causa deste time modesto aqui do interior de Pernambuco, aprendi a amar o Botafogo. AMAR MESMO!.

Quando vejo o Flamengo perder, sinto o mesmo saldo de prazer de assistir as derrotas do Sport Club ddo Recife (uma espécie de Flamengo dessas bandas de cá). Odeio o Sport com a mesma acidez que ODEIO o Flamengo.

Não foi bom empatar com o Sport no engenhão, é verdade. Mas, o empate foi muito melhor que perder para os rubro-negros.

Salve os meus Gloriosos Alvinegros: Central e Botafogo!!!