segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

O telefonema de Charles Borer

O telefonema de Charles Borer

Corria o ano de 1979 quando o telefone tocou na editoria de esportes de O Globo. Era para José Antônio Gerheim, repórter e botafoguense como eu. Gerheim atendeu, disse umas duas palavras e desligou. Depois se dirigiu a mim e disse que o presidente do Botafogo, Charles Borer (1929-2001), queria conversar conosco na casa dele, em Jacarepaguá. Topei a parada e ficamos à espera do motorista de Borer que nos pegaria e traria de volta.

O que Borer queria conosco? Mistério total. Assim que chegamos, ele nos conduziu à sala e nos perguntou se aprovaríamos a contração da dupla Marcelo e Ziza, este último filho de Pinga (1924-1996), que pertenciam ao Atlético Mineiro. O que nós poderíamos responder? Claro que sim. A verdade é que Borer, em seu último ano de mandato à frente do Botafogo queria um título qualquer que fosse o preço.

Mas por quê?

Porque em seu primeiro ano à frente do clube, o Botafogo foi remetido a Marechal Hermes, o estadinho de General Severiano fora demolido e só restava a sede, fechada e decadente. Borer não fora feliz quando, sem querer, montara o famoso ‘Time do Camburão’ e tinha interesse em arrumar uma equipe que fizesse frente aos grandes clubes do Rio.

Foi assim, simplesmente assim, que surgiu este Botafogo da foto, com Gaúcho, Zé Eduardo, Rocha, Serginho, Paulo Sérgio e Perivaldo (de pé) e Édson, Mendonça, Mirandinha, Marcelo e Ziza (agachados). Em campo o time formava com Paulo Sérgio, Perivaldo, Zé Eduardo, Gaúcho e Serginho; Rocha e Mendonça, Édson, Mirandinha, Marcelo e Ziza.

Marcelo e Ziza não deixaram seus nomes na história do Botafogo, assim como dezenas de outros jogadores, que atuaram nos 20 anos sem títulos. Pessoalmente, tenho a mais absoluta e concreta das certezas de que o Glorioso perdeu uma geração de possíveis torcedores que se apaixonaram por outros clubes. Afinal de contas, ninguém é de ferro para suportar tanto tempo sem conquistar uma taça. Aliás me corrijo: o Botafogo conquistou a do Torneio Início de 1977.

Será que ela conta?

8 comentários:

Anônimo disse...

Essa semi final de 81 foi um dos maiores assaltos cometidos no Campeonato Brasileiro.Foi um vergonha,mas...há coisas que só acontecem ao Botafogo.Acho que teríamos ´sido campeões se passássemos pelo São Paulo,mesmo sabendo que o Grêmio era um timaço.

Anônimo disse...

Me lembro muito bem desse time.Era muito bom.Pena que não conquistou o brasileirão 1981.Aquela partida terrível no Morumbi me faz chorar até hoje.Nunca tinha visto o Botafogo ser ROUBADO tão descaradamente como nesse jogo. Quanto aos 6X0 que o Fla devolveu, o problema todo começou na semana do clássico. Édson e Jérson se envolveram em uma confusão e não jogaram. Para piorar as coisas tinha um tal de Jorge Luis na lateral esquerda do Botafogo. Aquele lugar virou uma avenida e o Fla se aproveitou. Ainda acredito que o Fogão dará outra SURRA memorável neste time ridículo. Saudações botafoguenses!!

Ronaldo disse...

Caríssimo Porto,
Creio que há um engano quanto ao ano da contratação de Marcelo e Ziza ter acontecido em 1981. Basta olhar a ficha do jogo abaixo extraído do site do Rui Moura:

BOTAFOGO 7x1 A. D. NITERÓI (RJ)
Competição: Campeonato Carioca de 1979
Botafogo: Borrachinha, Perivaldo (Chiquinho), Miltão, Renê e China; Russo, Marcelo e Renato Sá; Cremílson, Dé e Ziza (Mendonça). Técnico: Joel Martins.
Gols: Dé (3), Marcelo (2), Renato Sá e Russo.

Quanto à foto, não há dúvida: trata-se do time do BR-1981. Se o Mirandinha passasse a bola, teríamos dado uma goleada no SPFC no jogo do Rio, mas não há time que não seja roubado no Morumbi.
Quanto ao Borer, foi injustiçado ou não?
E quanto ao time do Camburão, eu não entendo a implicância: ficou 52 jogos invicto, vários jogadores de nível de seleção (tanto que quando foi formado chamava-se selefogo), e a invencibilidade atravessou dois campeonatos brasileiros, enfrentando grandes equipes dentro e foram do Rio. Quem inventou esse termo foi o tricolor Denis Menezes, que foi um dos repórteres que mais tripudiou do BFR nos anos 70/80.
Um abraço e parabéns pelo blog que está cada vez melhor.

Ronaldo disse...

Para completar o argumento consegui encontrar nos arquivos do Pedro Varanda as informações que eu precisava: no primeiro semestre de 1979 Osmar "Chapéu de Roberto" Guarnelli começou a temporada mas foi para o Galo.Ziza e Marcelo vieram para o Botafogo. O jogo de estréia de Marcelo foi numa atuação estupenda contra o América, marcando 3 gols como mostra a ficha do jogo.

BOTAFOGO 7 x 0 FLUMINENSE-NF (RJ)
Data – 07 / 02 / 1979
Local – Maracanã
Árbitro – Arnaldo Cezar Coelho
Competição – Campeonato Carioca Especial
Botafogo – Zé Carlos, China, Osmar, Miltão e Dodô; Chiquinho (Cremílson),
Wecsley e Mendonça; Gil, João Paulo (Luizinho Lemos) e Tiquinho. Técnico:
Joel Martins.
Fluminense (NF) – Brasília, Cabrita, Adriano, Almir e Toninho; Antônio
Carlos, Jorge Scott (Dedeu) e Helênio; Daflon, Libânio e Fajardo (Mário).
Técnico: Nilo Sérgio.
Gols – Gil (3), Luizinho Lemos (3) e Tiquinho.
Obs: O adversário foi o Flu de Nova Friburgo.


BOTAFOGO 6 x 1 AMÉRICA (RJ)
Data – 20 / 05 / 1979
Local – Maracanã
Árbitro – José Roberto Wright
Competição – Campeonato Carioca
Botafogo – Ubirajara Alcântara, Perivaldo, Nílson Andrade, Renê (Ronaldo) e
Vanderlei Luxemburgo; Russo, Mendonça e Marcelo; Cremílson, Luizinho Lemos
(Dé) e Renato Sá. Técnico: Joel Martins.
América – Ernâni, Valença, Alex, Russo e Álvaro; João Luiz (Wilson), Merica
e César; Serginho, Renato (Roberto Lopes) e Silvinho. Técnico: Danilo Alvim.
Gols – Marcelo (3), Luizinho Lemos, Cremílson e Mendonça p/o Botafogo;
Silvinho p/o América.

Marcelo foi bem no BFR, marcou um gol de bicicleta contra o simpaticíssimo. Acho que o Ziza teve passagem mais apagada. Depois de 1978, o BFR passou a apresentar defesas fraquíssimas, que não faziam frente a Zico e Cia.
Um abração.

Anônimo disse...

Amigo Roberto Porto q por diversas vzs tive o previlegio de assistir a jogos nas arquibancadas do maraca tendo vc proximo e muitas das vz ao lado. apesar de sempre visitar e ler seu blog e comentarios , é a primeira vz q faço um comentario , alias nem um comentario e sim ,+ um pedido . escreva algo de um dos maiores craques do nosso glorioso ( e na minha opinião depois do nosso Eterno Nilton Santos , pois esse é incomparavel.o melhor lateral esquerdo de todos os tempos ) meu Maior idolo na infancia , inclusive nela , pelas peladas da vida colocaram -me o mesmo apelido do meu idolo , pela semelhança fisica e os cabelos louros . Francisco das Chagas Marinho , o nosso querido bruxa e na minha opinião , + um dos tantos craques q tivemos e foram esquecidos pelo nosso clube , sem o devido respeito e homenagens dos nossos diversos presidentes . deixando o clube de nos brindar e principalmente os + novos com lançamentos de produtos dos mesmos . deixando tambem de faturar . qual clube no Brasil e no Mundo teve a terça parte dos craques q tivemos vestindo nossa gloriosa camisa ??, desde já agradeço . um gr Abraço e saudações a todos . Ass. Eros Martins Ribeiro

Luis disse...

O time do Brasileiro 81 tinha Gaúcho Lima e Jerson"comJ" como titulares na lateral esq. e ponta esq. respectivamente Ziza já era banco a esta altura
Atenção, o texto não está dizendo que Marcelo e Ziza vieram em 81 portanto não há erro

Ronaldo disse...

Realmente, não há erro porque houve uma correção entre a hora da minha postagem (16:41) e a hora da sua postagem (21:48), pois o texto anterior começava dizendo : "corria o ano de 81..."
A grande arma daquele time eram os contra-ataques puxados pelo Édson, que entrava no segundo tempo no BR-1981, que foi no primeiro semestre. Mesmo que o BFR tivese conseguido o empate contra o SPFC, o Sr. Zanotto suspendeu mais da metade do time com o terceiro cartão. Ia ser duro contra o Grêmio.

Luiz Flavio disse...

Ziza, na campanha de 81 , jogou de ponta direita.naquel jogo em q acabamos com a invecibilidade dos mulambos, gol de Renato Sá, ele foi substituido ainda no primeiro tempo, após uma pancada do Toninho, lateral,no tornozelo e ficou varios meses fora do time enunmca mais foi o mesmo.