segunda-feira, 9 de março de 2009

Camisas lindas & dúvidas


Depois de abatermos os Tigres com três tiros certeiros, pela Taça Rio, retorno hoje a uma coluna (post) que escrevi há pouco tempo e que ainda provoca inútil polêmica entre meus leitores. Trata-se da foto que me chegou da Hungria, através do botafoguense István, com o inacreditável ataque formado por Garrincha (1933-1983), Gérson Canhota de Ouro, Didi (1928-2001), Jairzinho e Roberto. Alguns alvinegros acham que a foto é uma montagem, pois Gérson e Didi – segundo eles – jamais jogaram juntos.

Pois do alto da minha documentação a respeito do Glorioso, garanto a vocês que Gérson e Didi atuaram juntos, sim, de 23 de agosto de 1964 a 24 de fevereiro de 1965, totalizando 21 partidas. Sei que são poucos jogos e que a memória às vezes é traiçoeira. Mas o ataque da foto e outros, com Quarentinha, Amarildo e Zagallo, além da presença de Nílton Santos na defesa, entraram para a história do Botafogo velho de guerra, o clube que mais jogadores cedeu para a Seleção Brasileira que chegou ao tri mundial.

Esclarecida a dúvida dos leitores, vamos a outro assunto.

Vocês repararam na beleza de camisa que três jogadores do Botafogo estão usando em General Severiano? Pois trata-se da luxuosa (poderia ser outra coisa?) camisa que Carlito Rocha (1894-1981) mandou confeccionar para o Campeonato Carioca de 1947 e chegou a ser utilizada no início de 1948 (já com calções brancos) numa excursão do Botafogo à Bolívia, quando Nílton Santos, aos 22 anos, já integrava o quadro de profissionais.

Infelizmente (pois que a camisa é linda), ela foi criada por Carlito Rocha, inspirado na camisa do River Plate de Buenos Aires, mas teve que ser abandonada porque rasgava à toa, perdia botões e sempre estava para fora dos calções dos jogadores. Na foto, os três alvinegros são Teixeirinha (ponta-esquerda), Santo Cristo (ponta-direita) e Osvaldo Ávila (centro-médio). Particularmente, para disputar com essa beleza de camisa, só a listrada de mangas compridas (da foto tão questionada), sem patrocínios.

Para os mais velhos (ou mais fanáticos) vou escalar o time que mais vezes atuou envergando esse maravilhoso uniforme: Ary Nogueira César, Gérson dos Santos e Francisco José Sarno; Nílton Senra, Osvaldo Ávila e Juvenal Francisco Dias; Válter (Santo Cristo) Silveira, Efigênio (Geninho) Bahiense), Heleno de Freitas (1920-1959), Otávio Sérgio de Moraes e Nildo (Teixeirinha) Teixeira de Mello.


Por sorte, ainda muito garoto, pude ver esse Botafogo de 1947 ao vivo, levado às Laranjeiras e General Severiano pelas mãos de meu saudoso pai Nélson Porto (1909-1994), ironicamente torcedor do Flamengo, mas democrata para permitir que três de seus quatro filhos homens torcessem pelo incrível Botafogo de Futebol e Regatas.

10 comentários:

Chico da Kombi, disse...

Preparar...
Apontar...
Afundar a nau vascaína...
FOGOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO!!!

Gloriosas saudações alvinegras, caro Roberto Porto.

PC disse...

Roberto,obrigado pelo esclarecimento.realmente eu não tinha esse fato registrado em minha memória.mas foi com grande alegria que eufiquei sabendo que os dois maiores meias direitas do futebol mundial jogaram juntos,e com a camisa do maior time do mundo!!!Pense bem esse time:Manga,joel,zé carlos,Nilton Santos e Rildo,Didi e Gerson,Garricha,Quarentinha,roberto e jairzinho!!!Calma gente e ainda tinha o Zagallo o Elton o Arlindo para entrar!!!Meu Deus!Só o Botafogo mesmo!!
Abraços
PC

hcottas disse...

Grande Porto,

Só agora vi a foto inacreditável com aquele ataque dos sonhos e só aqui mesmo para descobrir essa preciosidade.
Manga, Rildo, Didi, Gerson, Garrincha, Jairzinho e Roberto juntos ??? Nem no meus melhores sonhos ia imaginar que isso já aconteceu !!!

Um grande abraço !

Humberto.

Eduardo Hollanda disse...

Cacete, é não é que não me lembrava desse time? Mas foi o período em que estava no Colégio Naval, em Angra, e vinha pouco ao Rio. Mas também, pra que fui me meter a besta com a memória e os arquivos do chefe...Essa camisa com botões é sensacional, mas hoje, não duraria um tempo. Mas talvez os sopradores de apito marcassem mais faltas e pênaltis a favor do Glorioso...(ou não...)

Anônimo disse...

Gerson e Didi juntos com Nilton Santos e Garrincha era um sonho mas, infelizmente, não funcionou. Didi entrou no lugar de Arlindo e o time não se acertou mais. O Campeonato Carioca de 64 foi o último estadual de Nilton Santos, Didi, Quarentinha e, se não me engano, do Zagallo. Garrrincha voltava depois de operar o joelho e também não estava bem. Começamos mal, pioramos quando Didi entrou e o time só se acertou no final do campeonato, quando reagiu e ganhou do Vasco, do Fluminense e, o melhor de tudo, impediu o bi do flamengo. No último jogo o time deles jogava pela vitória para ser bi; empatando, jogaria um supercampeonato com Bangu e Fluminense. O BOTAFOGO, 3 pontos atrás de Bangu e Fluminense e dois atrás do fla, não tinha mais chances. Mas ganhamos de 1 x 0, gol de Roberto, escorando, aos 40 do segundo tempo, um cruzamento do Mura. Este jogo valeu o campeonato e foi o último jogo oficial de Nilton Santos, que foi extraordinário nesta partida. Acabamos em terceiro, empatados com eles. Mas ter o Didi de volta aos 35/36 anos, ainda que fora de forma, foi a coisa certa a fazer. Nilton Santos parou no fim do ano; Quarentinha, apesar de ter sido o artilheiro do time no campeonato, foi dispensado para jogar na Colômbia; Didi ainda tentou a sorte no São Paulo mas parou em 65.

Anônimo disse...

Esqueci de assinar o comentário acima: Rodrigo Saturnino.
Mais um: menos de um mês depois de impedir o Bi deles, mais um jogo inesquecível, desta vez contra o Santos na final do Rio-SP de 1964. o time era: Manga; Mura, Zé Carlos, Paulistinha e Rildo; Élton, Gérson e Arlindo; Garrincha (Zagallo), Jairzinho (Adevaldo) e Roberto (Hélio). Ganhamos de 3 x 2 depois de fazer 3x0 no primeiro tempo, gols de Jairzinho e Roberto (2). Paulistinha e Manga (juntamente com Pelé) foram expulsos; por isso Adevaldo e Hélio (goleiro reserva) entraram.
Rodrigo Saturnino

PC disse...

Boa Rodrigo!!O time naquela época estava começando a se formar para ser o bi-bi em 67/68.Antes,passamos ainda 2 campeonatos "meia boca(65/66)"mas depois foi só alegria!

Anderson Silva disse...

Senhores, boa tarde.

Alguem pode me responder uma pergunta: Porque soh o flamango nao joga na casa dos adversarios, mandando seus jogos (fora) para volta redonda? E porque a imprensa nao questiona isso?

To mandando esta mesma pergunta para outros blogs, inclusive de jornalistas... que tal fazermos o mesmo? Ta foda!

malu cabral disse...

Oi, Anderson!

Estive conversando ontem sobre isso com o Gilmar Ferreira do Extra. Ele é vascaíno. O Blog dele é de primeira linha, não há bate-boca, são pessoas super bem educadas.E ele vai te respoder.
Abraços
Malu Cabral

Bruno Porto disse...

Que camisa linda!!!