sexta-feira, 13 de março de 2009

O campeão não pode apanhar assim


Como diria o meu amigo tricolor Nélson Rodrigues (1912-1980), é óbvio ululante que o meu querido Botafogo de Futebol e Regatas já sofreu derrotas mais amplas e também doloridas goleadas no Maracanã, pelo Campeonato Carioca. Segundo a Enciclopédia Alvinegra Pedro Varanda – por quem tenho o maior respeito – a primeira das ultimas saraivadas de gols que tomamos ocorreu no dia de 29 de abril de 1994, diante do Fluminense, por 7 a 1.
Confesso que fui a nocaute técnico diante desse desastre.

Mas os medonhos feitos cumpridos pelo querido alvinegro não terminaram aí. O último e terrível fracasso ocorreu diante do Vasco, a 29 de abril de 2001 (olhem repetição do maldito dia). O chamado clube da colina meteu 7 a 0 no Glorioso diante da estupefata torcida alvinegra. Recordo-me que o placar foi tão alarmante e fora de propósito que o próprio Romário, nosso eterno algoz, deixou o gramado lamentando a goleada sofrida por um clube tão tradicional quanto o Botafogo de Futebol e Regatas.

É por isso que sinto na carne os 4 a 1 da noite de quinta-feira, principalmente porque foi construído por um jogador, Carlos Alberto, que acabara de abandonar a camisa do Botafogo – como fizeram Túlio, Jorge Henrique, Wellington Paulista, Zé Roberto, Lúcio Flávio, Diguinho e mais os dois zagueiros dos quais nem quero guardar os nomes. Um campeão, como foi o Botafogo na Taça Guanabara, não pode se deixar abater desse jeito, diante de um Vasco que não o derrotava há sete anos.

Creio eu que, agora, a conquista da Taça Rio – e o título de campeão carioca de 2009 – ficaram ligeiramente mais difíceis. Tomara que eu esteja errado e que o Glorioso tome a goleada sofrida como uma lição e parta para uma reação fulminante. Mas pelo que conheço do Botafogo, através da máquina do tempo que costumo utilizar, o efeito será devastador. Os jogadores vão achar que já estão classificados para a decisão e (é apenas uma questão de opinião) irão deixar o barco correr. Espero que não. Mas...

O fato, inconteste, é que, a essa altura do campeonato, os adversários do Botafogo vão achar dois motivos para deslustrar nosso êxito na Taça Guanabara: a derrota do Flamengo para o Resende e a perda de seis pontos por parte do Vasco.

E eu, aqui do Recreio dos Bandeirantes, meio isolado, não terei meios de refutar essas dúvidas. Perder é conseqüência natural numa competição de futebol. Mas ser goleado, tenham a mais santa das paciências. Principalmente para um time meio mal-ajambrado como o do Vasco, que andou tropeçando até mesmo em seu estádio, em São Januário.

Fica aqui, pois, a minha advertência: o Flamengo está lutando por mais um tricampeonato e o Botafogo, quer queira ou não, terá a dura missão de impedir essa conquista. De minha parte, abatido a tiros, vou tentar retornar à minha máquina do tempo e contar as histórias do meu Botafogo.

5 comentários:

Gil disse...

Mestre Porto,
Como você mesmo disse: "Mas pelo que conheço do Botafogo, através da máquina do tempo que costumo utilizar, o efeito será devastador".
A torcida já percebeu e acredito que seja esse o motivo que em todos os clássicos somos em menor número nos estádios.
Ganhamos uns jogos começamos a acreditar e vem uma desilusão ou um sacode desse.
Como dizia o nosso SALDANHA, VIDA QUE SEGUE e nada melhor que o tempo para voltar o ânimo.

Abs e Sds, BOTAFOGUENSES!!!

Anônimo disse...

Querido amigo Roberto Porto,eu também penso que os adversários começarão a achar que qualquer um dos três que chegar às finais do estadual ganharão fácil do Botafogo. Passei o dia de hoje (13/03) remoendo no pensamento esta derrota. Por mais apaixonado que seja por este time, tem coisas que não dá pra aguentar. Fico pensando se um dia o Fogão voltará a ser campeão brasileiro. Este estadual já ficou difícil. Culpa do próprio Botafogo. Mesmo longe do time, continuarei torcendo aqui em Brasília. O Botafogo não pode perder desse jeito!! Saudações alvinegras!!

Christiano Nunes disse...

Mestre Porto,
Realmente suas colocações tem veracidade. Entretanto não se pode ficar recuado e/ou mergulhado em um marasmo profundo. Isto porque trata-se do Botafogo Glorioso de General Severiano, eterno clube de conquistas que honram as cores do Brasil, que estamos falando. A história sempre dará exemplos. Mas no final das contas o presente é construído agora, a cada escolha em cada instante. E para o Botafogo ser campeão a certeza é de que a força alvinegra, a energia guerreira de cada torcedor e jogador, que quando veste a camisa e entra em campo sente a magia e o poder que leva consigo, todos esses fatores unidos trarão a Taça de campeão Estadual para General Severiano, porque o clube merece em virtude do trabalho sério, responsável e firme que vem produzido.
Portanto,
Capitular nunca!!
Botafogo sempre!!!

Avante Fogão,

Saudações alvinegras

Hewerton disse...

Amigo Porto,

Estou ate hj com dor de cabeça em virtude desse resultado, porem continuo acreditando nesse time, e tenho certeza q isso foi apenas uma acidente de percurso.
Saudações alvinegras

Phoquinha disse...

O Botafogo tem tudo para ser campeão, só precisa de um treinador competente. O Ney Franco deveria cantar em outra freguesia, a Gávea de preferência.

Se a diretoria quiser, eu aceito ser o novo técnico. Veja o meu time: Renan, Thiaguinho, Qualquer um menos o Emerson, Juninho e Gabriel; LG, Fahel, Phoquinha e Maicossuel; VS e Reinaldo.
E então? Gostou?
Um abraço.