segunda-feira, 17 de maio de 2010

Obrigado, Nílton dos Santos


Nílton dos Santos completou 85 anos no último dia 16, enquanto o Botafogo derrotava o São Paulo no Morumbi. Muitos de seus antigos companheiros foram visitá-lo na clínica onde ele está internado. Eu podia, perfeitamente, publicar uma foto do Nílton atual. Mas prefiro esta, tomada a bordo do Comte Grande, na travessia do Atlântico, da Itália para o Brasil, em 1955. Por quê? Porque para mim Nílton será sempre assim, campeão do mundo e campeão pelo meu Botafogo do coração. Infelizmente, só pude privar da intimidade de meu ídolo depois que ele abandonou o futebol e, nos treinos em General Severiano, fazia competição de domínio de bola com Marinho Chagas, no início da década de 70. Mas valeu a pena. Tanto vê-lo jogar como tê-lo como amigo, me contando histórias de seu tempo no Glorioso alvinegro.

Pessoalmente, acho que ele começou tarde sua carreira (22 anos), em 1948. E, curiosamente, foi campeão invicto. Na única derrota do time, na estréia contra o São Cristóvão, ele jogou entre os reservas. E jogou de má vontade porque, segundo me disse, sua vocação era ser ponteiro-esquerdo. Mas Carlito Rocha não deixou ou teve uma premonição. Disse a Nílton que ele seria o melhor do mundo como lateral. E estava certo. A FIFA o escalou no mais fantástico time do Século 20 – o Botafogo foi o 12º colocado. A rigor, pelo que conversamos durante anos, ele só teve bronca de dois indivíduos: Heleno de Freitas e Armando Marques. E teve suas razões.

Entre as melhores histórias de Nílton está a amizade que fez com Didi, quando este ainda era do Fluminense. Nílton, iniciando a carreira, não tinha carro e estava subindo a pé a Rua Cândido Mendes, em direção, digamos assim, a uma famosa ‘casa de saliências’. Foi quando Didi passou de automóvel e lhe deu uma carona. Didi também era chegado às ‘saliências’. Em 1954, na Suíça, Zezé Moreyra não permitiu que Didi desse um pulo a Lausanne para encontrar Guiomar. Com raiva, fez greve de fome. Mas Nílton, sabendo do valor de Didi para o time, levava comida escondida para o quarto do amigo. Quando Didi foi para o Botafogo, em 56, a amizade cresceu.

A história dessa foto na murada do Comte Grande é curiosa. Quando o Botafogo jogou em Turim, um débil mental levou os jogadores para a catedral, na torre da qual o avião do Torino se espatifou, matando todo o time. Os jogadores do Botafogo, Nílton à frente (sempre teve pavor de avião) foram ao chefe da delegação, Sandro Moreyra, e pediram que a volta ao Rio fosse de navio. Sandro disse que se o time vencesse os dois últimos jogos, na Tchecoslováquia, o negócio estaria fechado. Daí a pose de Nílton, solitário, olhando para o mar, que o lembrava a Ilha do Governador.

Certa vez, por volta de 2002, viajamos juntos para São Paulo, onde ele seria entrevistado no programa ‘Bola da Vez, da ESPN Brasil. Fui um dos convidados para a entrevista. Mas, no avião, pouco pude aproveitar de uma conversa com Nílton. Ele colocou uma medalhinha de santa na boca e falava pouco. E o pouco que falava não dava para entender direito. Brinquei com ele, disse que o vôo estava tranquilo mas nada adiantou. Enquanto o avião não chegou, ele não tirou a medalhinha da boca. Mas fiz o possível e o impossível para que ele ficasse calmo – e acho que consegui em parte. Por tudo isso, pelo que assisti de Nílton em campo e de sua amizade fora dele, não gosto de vê-lo envelhecido e bastante ausente. E daqui deste modesto espaço mando-lhe os parabéns pelos 85 anos. Eu, posso dizer, tive a sorte de vê-lo jogar e dar seu famoso drible de corpo. E só posso dizer, obrigado, Nílton dos Santos.

(*) O número 62 na foto não tem nada a ver com nada.

9 comentários:

Chico da Kombi, disse...

###

Felicidade, saúde e paz para o maior lateral-esquerdo do mundo!

Ave Nilton Santos!

Gloriosas Saudações Alvinegras.

###

Gil disse...

Mestre,

Para alguns, DEUS deveria dar a jovialidade e imortalidade.

Saúde e Paz para o nosso ídolo Nilton Santos!

Abs e Sds, Botafoguenses!!!

Eduardo disse...

Me lembro do melhor lateral esquerdo de todos os tempos, em 1962, já jogando de quarto zagueiro pelo Glorioso, tirando uma bola do Pelé, de letra, na corrida, girando o corpo, com a bola dominada, enquanto o Pelé ainda corria alguns metros, sem a bola. Pena que essa cena nao exista em VT. Mas o Pelé lembra bem do lance, e reclama quando algum de nós, do povo eleito da Estrela Solitária, comenta a jogada com ele. Mas no final, ri muito.
Viva a enciclopedia.
E, grande Robertão, maravilhosa sua homenagem. Assino embaixo

Estrela Solitaria disse...

GOSTARIA DE REVER A REPRISE DESSA REPORTAGEM NA ESPN BRASIL.

PARABÉNS NILTON

Ari Dias disse...

Infelizmente meus 38 anos não permitiram acompanhar o futebol do nosso maior ídolo, porém sempre que vejo o Nilton Santos me emociono, deve ser alguma transcedental. Grande Nilton, o melhor lateral esquerdo do mundo, pena que na sua época não tinha os mesmos recursos técnicos de hoje em dia, pois tem muita gente por aí que acha que o Roberto Carlos ou Júnior(capacete) jogaram mais que o NS, que sacrilégio, mas Deus perdoa pois elles não sabem o que falam.
Ari Dias, BOTAFOGO SEMPRE.

Camila Augusta disse...

Grande homenagem Porto!
Nosso maio ídolo merece tudo isso e mais.
saudações e felicidades ao Niltão!

Branco disse...

Grande homenagem...Porto,ontem estava assistindo O LPF,na espn brasil,e aquele fanfarrão do tal de Odir cunha,falando besteira sobre o nosso botafogo...Merece uma boa resposta sua,Grande Porto...

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Não tive, em razão da idade, a chance de ver o Nilton. Orgulho-me pelo amor que dedica ao Glorioso.

Abraços.

Renato Brandão disse...

Roberto, O 62 na foto quer dizer que ela foi salva do Site SQUADRA62 q fala sobre o Fogão.

Saudações Alvinegras!